Suplente de Veneziano o contraria e faz lobby em favor da privatização da Eletrobrás, que ele e sua mãe defendem como empresa pública

19/06/2021

Depois de em gesto obsceno “dar o dedo” para o saudoso senador José Maranhão, que estava internado em São Paulo por conta da COVID-19 que o matou dias depois, o suplente de senador de Veneziano Vital do Rego (MDB), Ney Suassuna, que ano passado por distinção deste exerceu o mandato por quatro meses, voltou à mídia, via redes sociais, mas agora para “emparedar” aquele que pode lhe dar mais alguns meses no tapete azul do Congresso Nacional.

Sem esconder o lobismo que atualmente lhe garante mais alguns dólares no cofre, Ney foi na contramão do que Veneziano defende no Senado e com o ótimo poder de argumentação que a sua condição nata de professor propicia, defendeu a venda da Eletrobrás e aconselhou a deputados e senadores a urgentemente se posicionarem em favor da medida que privatiza a estatal.

O maior argumento de Ney, para o qual ele informou ter pedido subsídios “a uma amiga minha” que foi diretora da empresa (Aracilba Rocha, por ele indicada para a estatal quando titulava uma cadeira no Senado), é de que a Eletrobrás é “perdulária” e tem gastos exorbitantes inclusive no pagamento de altos salários, que chegariam em média a R$ 60 mil, havendo casos de ultrapassarem R$ 100 mil, em contraponto à média salarial do brasileiro comum, na ordem de dois salários mínimos.   

É de se entender que Ney voltou a não rezar mais pela cartilha de Veneziano.  

Tanto Veneziano, quanto a sua mãe Nilda Gondim (ambos do MDB), participaram no final do mês passado de Plenária Nacional remota em Defesa da Eletrobrás, juntamente com outros Senadores e Senadoras, além de representantes de sindicatos e outras entidades que defendem que a empresa continue sendo pública e eficiente.

A iniciativa da Plenária foi da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU), entidade que congrega os sindicatos dos trabalhadores urbanitários em todo o País, bem como de senadores de vários partidos, a quem exatamente Ney Suassuna exercendo lobby está se contrapondo.  

Veneziano e sua mãe defendem que o Senado discuta mais profundamente a matéria, por entenderem que a MP necessita ser amplamente debatida.

A plenária tirou alguns encaminhamentos, tais como realizar reuniões com senadores e governadores nos próximos dias, ampliar as intervenções nas redes sociais e preparar ações judiciais para barrar a Medida Provisória no Senado.

A Medida Provisória (MP) que privatiza a Eletrobrás foi aprovada na Câmara dos Deputados e agora tramita no Senado.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias