Liderança LGBT que fiscalizava limpeza urbana no Conde é demitida por Márcia Lucena e abandona "barco" ao se sentir traída

26/08/2020

Atordoada com inúmeros problemas, notadamente aqueles relacionados à Operação Calvário, cujo maior instrumento nos seus pés - a tornozeleira eletrônica - atrapalha não somente a sua mobilidade físico-pessoal, mas acima de tudo o modo de governar o Município, a prefeita do Conde, Márcia Lucena (PSB), vem colecionando perdas importantes na equipe, o que sem dúvidas dificulta o caminho que projetou para a reeleição este ano.

Agora foi a vez da transsexual Jennifer Santana de Morais “chutar o pau da barraca” na área do lixo, onde exercia o cargo de fiscal de limpeza urbana e acabou de ser demitida segundo ela por “fofocas, mentiras e motivação política”.

Jennifer fora indicada para o cargo por lideranças do Movimento LGBT no Município e exercia o seu cargo com zelo e dedicação, sem se envolver com questões políticas, mas tão somente com as inerentes à função.  

- “Minha indicação foi feita por pessoas que sempre acreditaram no meu caráter e no meu compromisso de sempre fazer o certo e sempre estar junto na gestão de Márcia Lucena”, informou ela com tristeza e profunda mágoa da prefeita, que a demitiu sem chamá-la para ao menos explicar os motivos da decisão.

A PALAVRA apurou que a demissão de Jennifer se deu, ironicamente, por conta do seu “excesso de zelo” com a coisa pública, ou seja, fiscalizar corretamente o volume de lixo coletado pela empresa Limpmax para só aí atestar as planilhas com as quais são liberados os respectivos valores do serviço.

Na chamada CPI do Lixo aberta na Câmara Municipal para apurar acréscimo de areia nos caminhões com vistas a aumentar o peso do lixo coletado e consequentemente acrescer os valores pagos à empresa Limpmax, por exemplo, Jennifer foi ouvida e disse que pelo menos na área do seu raio de fiscalização desconhecia tal procedimento.

Sentindo-se traída e abandonada por Márcia Lucena, Jennifer decidiu que não dará mais seu voto pessoal a ela nas eleições deste ano e procurou o pré-candidato do CIDADANIA, Olavo Lisboa Macarrão, para emprestar-lhe apoio e “trabalhar com toda a minha disposição” para elegê-lo prefeito do Conde.

Macarrão, por sua vez, se solidarizou com a ativista LGBT e garantiu que no seu provável futuro Governo perseguição política ou por ideologia de gênero será coisa do passado.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias