Campina elege uma "Marielle" que se orgulha da cor da pele e promete contribuir para uma cidade melhor para todos e todas

17/11/2020

Jô Oliveira, a filha de ‘dona Basta’, eleita com mais de três mil votos ontem (15) a primeira mulher negra do Parlamento de Campina Grande, pode vir a ser a ‘Marielle Franco’ da Paraíba, e não somente pela cor da pele, que ela na campanha dizia ser “a cor de Campina”, mas principalmente pelos seus ideais e o modo combativo como enfrenta altaneiramente a vida na luta pelas desigualdades sociais e em prol dos irmãos menos favorecidos pela sociedade excludente.

Essa vitória significa muito mais do que um simples ecletismo ou a surpresa de uma superlativa  bancada feminina no Legislagtivo municipal campinense. Representa na prática a certeza de que a ignorancia, a mesmice e a falta de pudor que baixou o nível da Câmara Municipal a patamares de sarjeta, chegou ao fim.   

Com a presença lá de Jô Oliveira, ganha Campina Grande a certeza de que a partir de agora a Casa Félix Araújo voltará aos seus áureos tempos, aqueles em que gente da estirpe de Félix Araújo, Ronaldo Cunha Lima, Mário Araújo, Anézio Leão, Noaldo Dantas, Argemiro (Mirito) Filho, Márcio Rocha e alguns outros, elevavam para os píncaros o nível dos debates e a excelência das proposituras, nada a ver com o que hoje lamentavelmente assistimos.

Jô é destemida, desde tenra idade. “Muitas vezes na correria do dia a dia, não só agora no período de campanha, mas ao longo da vida, na graduação, no mestrado, no trabalho e nos vários espaços de militância, eu parava, cansada... doida pra jogar tudo pro alto e fugir para montanhas... Mas nesses momentos que dava vontade de desistir, eu sempre pensava, e penso, no que me impulsiona a estar onde estou e a lutar pelo que luto”, recordava ela nas caminhadas em busca dos votos referindo-se à sua amada genitora – a cozinheira dona Basta! Para jô, dona Basta é o maior exemplo que ela tem na vida. “Foi com ela que aprendi o valor da educação, e a possibilidade de transformação social que ela nos proporciona. Foi ela que me ensinou que é possível sonhar e concretizar os nossos sonhos, mesmo com muita luta. Foi ela que me ensinou que eu poderia fazer mais do que a realidade em que vivíamos nos dizia”, lembra a nova vereadora.



Negra, ela não se envergonha da cor e explica que também por essa condição viu aguçado o seu desejo e a força cada vez maior de fazer mais e de se eleger vereadora de Campina Grande, para levar “a cara e a cor do nosso povo para aquele espaço, e de contribuir para que nossa cidade seja melhor para todas e todos”.

Assistente Social, Jô Oliveira é militante do PCdoB, partido pelo qual foi eleita para representar o povo de Campina Grande a partir de janeiro de 2021.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias