MPPB dá ducha fria na euforia de Márcia Lucena ante possibilidade de voltar à prefeitura do CONDE e pede quebra dos seus sigilos bancário e fiscal por suspeita de improbidade em contrato de mais de R$ 3 milhões

25/10/2021

A professora Márcia de Figueiredo Lucena, ex-prefeita do Conde, concidentemente em meio à euforia que se investiu ante a possibilidade de voltar a assumir a prefeitura do Município com a cassação de Karla Pimentel (PROS), acaba de tomar uma inesperada ducha fria.

Trata-se de uma Ação Cautelar Inominada de Quebra de Sigilos Bancário e Fiscal, com pedido de liminar, proposta pelo Ministério Público Estadual para verificar supostos atos de improbidade administrativa com a contratação, por dispensa de licitação, da empresa Limpmax Construções e Serviços Ltda. No período de setembro de 2016 a dezembro de 2017.   

O MPPB quer com isso garantir a produção de prova técnica diante de possível ato de improbidade perpetrado pelos demandados (Márcia Lucena, Limpmax e Thiago Araújo de Sá Leite) ou mesmo para verificar se a pessoa jurídica foi criada visando servir a interesses obscuros de administração pública.

As investigações até aqui apontam para direcionamento ou superfaturamento na dispensa de Licitação 001/2017, que teriam causado prejuízos ao erário na ordem total de R$ 3.111.067,45.

Segue a íntegra do pedido do MPPB:

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias