Como trabalhar no mercado americano de histórias em quadrinhos, com Emílio Baraçal

01/02/2021

Como é o processo para trabalhar com os quadrinhos da Marvel ou DC Comics? Como funciona a carreira de autor de quadrinhos no mais prestigiado mercado de publicações infanto-juvenis do mundo? O roteirista e ex-agente de talentos para o mercado americano de quadrinhos Emílio Baraçal, realizará quatro lives pelo Twitch sobre como trabalhar nas editoras americanas. O mais legal? Totalmente gratuitas! 

O mercado americano de histórias em quadrinhos é o maior mercado de leitura popular do planeta. Editoras americanas como Marvel Comics (Homem-Aranha, O Incrível Hulk, Thor, Os Vingadores, entre outros), DC Comics (Superman, Batman, Mulher-Maravilha, The Flash, entre outros) e Image Comics (The Walking Dead, Last Days of American Crime, Kingsman, Kick-Ass) publicam cada uma delas, dezenas de títulos mensais, não apenas com histórias de personagens clássicos como os já citados, mas com criações recentes e empolgantes. Esses quadrinhos são a semente de vários outros produtos derivados, como filmes, séries de TV/streaming, videogames, além de produtos como linhas de materiais escolares, coleções de roupas, em um mar praticamente infinito de possibilidades. Dois exemplos foram o filme “Vingadores: Guerra Infinita”, baseado na HQ da Marvel Comics de mesmo nome, “Guerra Infinita” e o crossover (encontro de várias séries e personagens) das séries de TV da Warner “The Flash”, “Supergirl”, “Arrow”, “Legends of Tomorrow”, “Constantine” e “Lucifer” no arco chamado “Crise nas Infinitas Terras”, que também foi baseado na HQ de mesmo nome. Em outras palavras, sem as histórias em quadrinhos publicadas mensalmente, uma grade parcela da indústria do entretenimento não teria um bom volume de matéria-prima do qual usar e gerar mais dinheiro e empregos.

Quando pensamos em trabalhar em determinadas áreas mais “tradicionais”, a maioria das pessoas sabe o “caminho das pedras”: se quer ser policial militar, precisa prestar um concurso da PM do Estado; se quer ser médico, precisa cursar uma faculdade de medicina; se quer ser mecânico, pode ou começar sendo assistente de outro mecânico ou fazer um curso técnico no SENAI, por exemplo. Mas, e para se tornar um autor de quadrinhos e viver disso, como funciona? Normalmente, as pessoas não têm as respostas.

Durante os domingos do mês de fevereiro – dias 07, 14, 21 e 28 – sempre às 14h, Emílio Baraçal falará sobre um aspecto diferente de como se tornar um profissional no mercado americano de quadrinhos, seja para trabalhar como desenhista, arte-finalista, colorista ou roteirista e desenvolver uma carreira.  

No dia 07 de fevereiro, ele irá abordar as questões de o que, como e onde estudar para o interessado se especializar nos conhecimentos, habilidades e perícias necessárias para criar histórias em quadrinhos de impacto de forma profissional.

Explicações sobre a importância de tópicos como desenho de anatomia humana, anatomia animal, perspectiva (cenários e meios de transporte), desenho de moda (devido ao vestuário do personagens), narrativa e construção de página, materiais e estudo de arte-final, teoria das cores, tipos de tintas tradicionais e pinturas digitais e explicações de como é a rotina de cada um dos profissionais citados acima quando já estão trabalhando no mercado americano e o que isso tem a ver com o que estudar e como estudar. Em acréscimo, uma lista de escolas de arte com bons cursos de desenho de histórias em quadrinhos, suas vantagens e desvantagens.

No dia 14 de fevereiro, a montagem de portfólio é o assunto da vez, mostrando como criar um portfólio que impressione um editor americano e como esse profissional recebe o material do autor. Os segredos para uma primeira impressão instigante e que rendem contratos em dólar.

Que tipo de imagens se deve apresentar em um portfólio, em cada uma das profissões envolvidas (roteirista, desenhista, arte-finalista e colorista)? Como criar e montar essas imagens? O que os editores e os agentes querem ver em um portfólio e como eles analisam um portfólio? Como é o uso dos roteiros-teste das agências de representação? Como renovação do portfólio? Como é o uso de histórias autorais para criação de portfólio?

O resumo dessa live é sobre a importância de um portfólio criado do zero, as estratégias de montagem de um portfólio, não apenas no início, mas durante a carreira, para manutenção dela. O segredo de um portfólio está em três itens: estratégia de montagem, apresentação e como reagir ao feedback de um editor e/ou agente.

Já no dia 21 de fevereiro, Emílio falará de como entrar em contato com os editores e sobre como abordar os agentes de representação de talentos – como um dia ele já foi – para que contratem o artista ou se mostrem interessados em representá-lo.

O resumo dessa live é sobre como abordar um editor de histórias em quadrinhos e um agente de representação do mercado americano e como desenvolver um relacionamento profissional com estes profissionais para continuar conseguindo trabalhos. Isso inclui tanto a apresentação e relacionamento ao se apresentar pessoalmente (como por exemplo, em um evento, como a Santos Criativa Festival Geek ou Comic Con Experience) e também pela internet.

Qual é o papel de um editor em uma editora de histórias em quadrinhos e do agente de representação? Como se apresentar para um editor ou agente e como conduzir a conversa com um? O que um editor e um agente esperam de você? Qual é o seu papel dentro de uma editora depois que você consegue o trabalho? Como é o seu relacionamento com um agente depois que você consegue o trabalho e como ele pode ajudar você durante a carreira?

Por último, no dia 28 de fevereiro, ele falará sobre como funciona os pagamentos, direitos autorais e os modelos de negócios do mercado americano de quadrinhos, visando orientar o artista para a parte que mais lhe interessa: viver de sua arte, sendo um profissional respeitado.

Quais são os tipos de contratos entre artistas/autores e editoras? Qual é a porcentagem dos agentes? Como funcionam as tabelas de pagamentos de artistas? Como funciona o compartilhamento de direitos autorais? Qual é o papel do financiamento coletivo na construção de uma carreira?

O resumo dessa live é sobre como lidar com o aspecto financeiro da carreira, versando sobre os tipos de contratos, a tabela de salário para artistas/autores iniciantes, veteranos e grandes estrelas, negociação de direitos autorais de personagens e histórias, diferenças entre prestação de serviço e coautoria, ganhando dinheiro com propriedades intelectuais e a administração independente, concepção básica do financiamento coletivo para histórias em quadrinhos e suas práticas.

Para assistir as lives e conversar com Emílio Baraçal, vá em  https://www.twitch.tv/emiliobaracal

As lives COMO TRABALHAR NO MERCADO AMERICANO DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS é uma ação de Emílio Baraçal em conjunto com a Secretaria de Cultura de Santos, por meio do Concurso Cultural - Lei Aldir Blanc “Prêmio Alcides Mesquita – Mesquitinha”.

SOBRE EMÍLIO BARAÇAL

Emílio Baraçal já trabalhou com representação de artistas brasileiros para o mercado americano em agências estrangeiras, sendo a ponte entre os artistas e as editoras americanas, buscando sempre colocar os nossos artistas nas melhores vagas e projetos e ajudando as editoras americanas a publicar as melhores histórias possíveis. Além disso, ele é roteirista, tendo trabalhado com diversas áreas do audiovisual e é um dos autores da HQ Anarquia: Três Lados Para Cada História, indicada a prêmios como o Troféu HQMix. Também foi professor de artes de alguns artistas que estão em editoras como Marvel Comics, DC Comics, Dark Horse Comics e Dynamite Entertainment, entre outras.

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias