Com segundo pior saldo na geração de empregos no Nordeste Paraíba perdeu 174 postos de trabalho no mês de janeiro

17/03/2021

O balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgado nesta terça-feira (17) pelo Ministério da Economia comprovou o que já era esperado pelos analistas econômicos. A Paraíba apresentou retração na contratação de trabalhadores por carteira assinada no mês de janeiro de 2021.

Os setores de Serviços (790), Construção Civil (585), e Comércio (468) apresentaram bom desempenho, porém, a baixa na geração de empregos foi duramente impactada pelo setor da Agropecuária, que ficou com saldo de – 1.263 vagas. De acordo com os números apresentados, a Paraíba encerrou 174 postos de trabalho com carteira assinada no primeiro mês do ano. (tabela 01).

Apesar de fechar o mês com saldo negativo de 754 vagas encerradas, a Indústria foi o segundo setor que mais apresentou rotatividade no mês de janeiro (543), atrás somente do comércio (696) e de serviços (425).

Perfil do trabalhador

As vagas encerradas impactaram principalmente os trabalhadores do sexo masculino. Pelo menos 639 vagas até então ocupadas por homens foram encerradas no período analisado. Já entre as mulheres, o mês de janeiro foi mais propício com a abertura de 456 vagas.

A maioria dos trabalhadores empregados, na Paraíba, no mês de janeiro tem em média entre 18 e 24 anos. O que impressiona é que grande parte das vagas ocupadas no período exigiam apenas o ensino fundamental incompleto.

 O resultado do mês de janeiro é o pior saldo apresentado pelo Estado desde o mês de junho de 2020, quando na época, foram encerradas 186 vagas e a Paraíba ainda convivia com o comércio de portas fechadas e uma série de restrições impostas pelo combate ao novo coronavírus.

No acumulado dos meses que se sucederam, de julho a dezembro do ano passado, 23.820 novos postos de trabalho foram criados no estado, período em que o governo optou pela flexibilização das atividades econômicas e permitiu o retorno das contratações.

Paraíba apresenta segundo pior saldo do Nordeste

Entre os estados nordestinos a Paraíba foi o que apresentou o segundo pior saldo na geração de empregos, ficando a frente apenas de Alagoas que fechou o mês com -198 postos de trabalho. Já a Bahia foi o estado que mostrou o melhor índice de contratações, com 15.049 novas vagas criadas, seguido por Ceará (7.872); Rio Grande do Norte (2.247); Piauí (1.624); Pernambuco (1.421); Sergipe (514) e Maranhão (65).

Fonte: Assessoria




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Mais Lidas