ESPECIAL - A história de como um "sibite" fugido da seca do Sertão pode levar o Conde a ser o maior "point" turístico do Nordeste do Brasil

25/03/2021
 Fabiano Medeiros, o filho de Pombal que hoje foca o Conde como o seu céu.
Fabiano Medeiros, o filho de Pombal que hoje foca o Conde como o seu céu.

Na linguagem e aos olhos matutos ele seria um “porqueirinha”, por ser pequeno, baixinho e ter corpo de “sibite baleado” – magro, fino e desengonçado.

Essa, inclusive, é a impressão primeira que aqueles que não o conhecem passam a ter dele, até pelo fato de somente se exprimir - pouco afeito às palavras bonitas - com voz branda de cordeiro.

Mas José Fabiano Medeiros, natural da histórica Pombal, no tórrido Sertão da Paraíba onde nasceu há 56 anos que neste domingo se completam (21.03.65), é isso mesmo e muito mais.

Chamá-lo de gigante seria maltratar a língua-Pátria, é óbvio.  

Mas, vá lá que seja assim, à falta de outro filme que se exiba para retratá-lo com verdadeira e  sincera fidelidade.

Quem conhece e priva do convívio de Fabiano nem precisa de lupa para vê-lo tão enorme!

Nordestino da melhor cepa, não está nem aí para o que dele possam ver, pensar ou imaginar, pois nasceu para servir e elegeu o trabalho como norte de vida, aqui ou alhures aonde o destino lhe colocar.

Filho de Seu Wilson Medeiros e de Dona Maria Adelina, é o segundo mais novo de uma prole que fechou em uma dúzia e que hoje ainda conta com nove deles vivos e gozando de boa saúde.



Fabiano e suas origens: os pais Wilson e Dona Maria Adelina

Fabiano começou a laborar cedo, muito jovem ainda como é costume da rapaziada nascida no chão batido dos pés de serra.

Torneado nas dificuldades da seca, aprendeu logo que para sobreviver não tinha mesmo outra receita.  

Aos 14 anos de idade, em 1979, a seca obrigou seus pais a migrarem para a Capital e lá o Exército brasileiro veio a ser o seu segundo mais importante ponto de partida onde, junto a um batalhão de outros “sibites” igual a ele, jurou dar o sangue pelo Brasil.



No Exército do Brasil transformou-se em homem com ‘H"

Primeiro fez o curso de oficial, o famoso NPOR, no 15 RI em Cruz das Armas, e vestido com o macacão verde oliva a lição no Exército moldou a sua personalidade de HOMEM com “H”.

Concluído o NPOR foi para Campina Grande como estagiário de aspirante na companhia que sucedeu o 31º Batalhão de Infantaria Motorizada, que ainda hoje funciona no bairro da Palmeira.

E de lá voltou para João Pessoa como segundo tenente da reserva.

Do quartel, saiu prontinho para desbravar o mundo e doar-se ao semelhante, que é o seu ofício indormido na busca do pão nosso de cada dia que garante o sustento da sua família e o dos amigos aos quais oferta emprego nos seus negócios na praia de Jacumã, onde é uma das figuras mais empreendedoras e queridas do próspero distrito do Conde.

A VIDA EM JACUMÃ

O “céu” de Fabiano hoje é o Conde, mais precisamente o distrito de Jacumã, onde tem um supermercado na rua principal, uma construtora e outros negócios comerciais, gerando em torno de 100 empregos diretos no Município.  

Tudo começou com um pedido do seu amigo Goes, que estava em 2005 instalando um segundo posto de combustíveis no local e lhe ofereceu um pequeno espaço, anexo ao posto,  para que ele colocasse algum comércio, talvez uma loja de conveniência.

Convite aceito, aportou em Jacumã no dia de 20 daquele abril de 2005 e montou no espaço uma mini mercadinho, bem sortido, e que logo atraiu uma enorme freguesia não somente por causa dos bons preços mas também pela variedade das mercadorias colocadas à venda e o bom atendimento.

Na época Jacumã tinha apenas o supermercado de Rejane, que não era na via principal, estava sempre lotado e as opções de produtos à venda eram poucas.

O crescente aumento das vendas e do público forçou a que Fabiano procurasse um ponto maior, encontrando-o próximo ao posto, na rua Ilza Ribeiro (principal do distrito) e onde passou a ser o principal estabelecimento do ramo na localidade.

Líder e empreendedor nato, e eleito presidente da Associação Comercial de Jacumã, incentivou a produção agropecuária local garantindo aos pequenos ruralistas a compra de toda a produção de hortaliças, ovos, carnes e leite da região, resultando em prosperidade para todos.



Os padres da Igreja Católica tinham a sua reverência

Hoteleiros, barraqueiros e donos de pousadas passaram a ser seus grandes fregueses e logo cedinho correm ao seu supermercado para o abastecimento do dia, com legumes e tubérculos colhidos na hora gerando uma cadeia produtiva rica e extraordinária.

NA POLÍTICA

Com ótimo trânsito em todas as camadas da sociedade, desde a Igreja Católica e as evangélicas, a maçonaria e as associações de classe, Fabiano adentrou pelo mundo da política partidária inicialmente aliando-se ao então prefeito Aluízio Régis e depois à prefeita Tatiana Lundgreen, aos quais emprestou seus aconselhamentos tendo em foco o desenvolvimento do Município com vistas à geração de mais emprego e renda e, sem distinção de siglas partidárias, atraiu forças políticas díspares, passando a ser voz obrigatoriamente consultada por todas as legendas nas decisões envolvendo o Conde.



Com a ex-prefeita Tatiana um bom trânsito, na condição de presidente da Associação Comercial de Jacumã.

Na condição de um dos coordenadores da vitoriosa campanha de Márcia Lucena foi decisivo no resultado do pleito por conta do trabalho desenvolvido em Jacumã, o que lhe valeu o convite para ser secretário de Infra-Estrutura, onde desempenhou um trabalho acima da média e que pediu exoneração faltando um ano para o final do mandato por sentir-se desprestigiado pela gestora, que passou a tolher seus passos e impedir a efetivação dos projetos que tinha elaborado para o Município.



Márcia Lucena tolheu os seus passos enquanto secretário

Como conselheiro da obra da orla de Jacumã, projeto financiado pelo Governo do Estado, viu-se impedido de construir os quiosques dos barraqueiros desalojados do local, que era a  contrapartida do Município no projeto, porque a prefeita entendia que os dividendos políticos iriam para ele e não para ela, tendo sido esse um fator decisivo para o seu pedido de demissão.

Livre das amarras da prefeita, e entusiasmado com as propostas de Olavo Macarrão (CIDADANIA) para a sucessão municipal, aceitou convite para coordenar a campanha do jovem e elevou-o à segunda força política do Município, tarefa inacreditável para muitos condenses.

Hoje, recebendo o abraço de uma legião de amigos ao chegar às 56 primaveras, Fabiano Medeiros se notabiliza como um dos filhos adotivos do Conde que mais tem dado do seu suor para que o Município, cujas belezas naturais continuam encantando o Brasil por suas praias paradisíacas e seu povo humilde e hospitaleiro, possa vir a ser, em tempo recorde, o maior e melhor “point” turístico do Nordeste do Brasil.



As explicações do pedido de demissão

Fonte: Da Redação




Comentários realizados

  • Essa matéria ainda não tem comentários realizados e você pode ser o primeiro a comentar.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*


Outras Notícias

Mais Lidas