São João de Campina e Clube dos Caçadores: Se APALAVRA diz que o jumento morreu o dono pode vender a cangalha

O 'RESUMOPB' deletou a matéria meia hora após sua postagem
O 'RESUMOPB' deletou a matéria meia hora após sua postagem

Amparada na sábia “filosofia” matuta, APALAVRA não tem o que reparar no texto em que informa sobre decisão municipal de criar a CIDADE DO FORRÓ e transferir o QG d’o Maior São João do Mundo para a área onde funcionou o histórico Clube dos Caçadores de Campina Grande, desapropriada pelo prefeito Romero Rodrigues em dezembro do ano passado: quando publica que o jumento morreu, o dono pode queimar a cangalha!

A fonte da notícia, que o jornal não está obrigado a revelar, é legítima para além da conta: advogado militante, assessor especial comissionado lotado no Gabinete do Prefeito e integra, por grau de parentesco com o alcaide, o primeiro grau.

Ontem, com a repercussão imediata e gigante da matéria d’APALAVRA, logo reproduzida por redes sociais, blogs e portais de todo o Estado despertando opiniões favoráveis e contrárias à decisão, a prefeitura através da Coordenadoria de Comunicação correu em um primeiro momento a desautorizar a informação tratando diretamente com alguns veículos, que decidiram por deletar o texto, como foi o caso do portal RESUMOPB, de propriedade do multimídia Milton Figueiredo.

Hoje pela manhã, entretanto, sem citar explicitamente APALAVRA, a própria CODECOM (Coordenadoria de Comunicação) encaminhou nota às redações para informar que “não existe nenhuma decisão oficial” que diga respeito ao assunto.

A fonte d’APALAVRA, por enquanto tendo o nome preservado pela empresa, foi contatada e naturalmente manteve a informação. Com a autoridade de quem frequenta sem reservas a intimidade do prefeito, principalmente pelos laços familiares, não tergiversou. “A fonte foi o próprio prefeito e se estava (a decisão) em sigilo é outro problema”, disse adiantando, e aí na condição de dirigente do sodalício, que “o dinheiro da desapropriação já está na conta do clube”.

A NOTA

Apesar de longa, a nota da CODECOM não afasta a possibilidade de transferência da festa, embora o faça nas entrelinhas e ainda assim com o cuidado de evitar que se entenda a ação como ditatorial.

“A atual administração municipal não tomará qualquer medida nesse sentido sem antes fazer um estudo profundo, amplo e consistente sobre todos os aspectos que envolvem uma alteração dessa complexidade, o que resultará inevitavelmente numa ampla discussão com todos os segmentos envolvidos na realização e no êxito da nossa festa mais tradicional”, garante a CODECOM.

Segue a íntegra da nota:

“A Prefeitura Municipal de Campina Grande vem, de público, informar que, ao contrário de informações amplamente divulgadas por parte da imprensa, não existe nenhuma decisão oficial em relação à mudança de local da estrutura principal que congrega a programação do Maior São João do Mundo, há 34 anos instalada no Parque do Povo.

A rigor, tratam-se de meras especulações, com potencial para gerar polêmicas dispensáveis e que não se sustentam por uma razão muito simples: a atual administração municipal não tomará qualquer medida nesse sentido sem antes fazer um estudo profundo, amplo e consistente sobre todos os aspectos que envolvem uma alteração dessa complexidade, o que resultará inevitavelmente numa ampla discussão com todos os segmentos envolvidos na realização e no êxito da nossa festa mais tradicional e referencial para a promoção de Campina Grande, avaliando sempre todas as alternativas possíveis.

Ao mesmo tempo, a Prefeitura de Campina Grande ressalta sua permanente disposição de tomar todas as medidas que possam tornar o Maior São João do Mundo ainda mais democrático, com sucesso de público e impulsionador da economia local, como vem acontecendo este ano. Após a implementação de um novo modelo de gestão da festa, resultado de uma Parceria Público Privada (PPP) que eleva o evento a um novo patamar de organização, profissionalismo e economicidade para os cofres públicos, não há dúvidas do acerto na adoção da nova formatação de gestão do evento.

Na certeza de que a imprensa e os segmentos responsáveis de Campina Grande sempre se pautarão pelas informações de força fática, a Prefeitura de Campina Grande renova o agradecimento aos que têm dado sua contribuição para o engrandecimento do Maior São João do Mundo durante essas mais de três décadas e, muito especialmente este ano, reafirmando seu compromisso com a transparência, processo cooperativo e compartilhamento de responsabilidades, sob a égide do melhor resultado para a cidade e sua gente, em relação a tudo o que diz respeito à festa que exalta as nossas mais legítimas tradições, sem abrir mão de se reinventar e ousar, com base no bom senso e no espírito público”.

 

Fonte: Da Redação




Comentários


  • Rômulo Nóbrega 14.06.2017
    Campina Grande espera, há décadas, pelo prolongamento da pista do aeroporto João Suassuna, decisão empurrada sempre de gestão a gestão e nenhuma delas toma decisão à respeito, que requer indenização de área próxima, já minguando e a cada dia, se tornando mais difícil dado ao crescente nível de construção em seu entorno. As portas aéreas de Campina Grande continuam estreitas à espera de quem tenha uma visão de enlarguecê-las.

Comentar


Sidebar Menu